Mai
18
Seg
O Galo de Barcelos[:] @ Museu de Olaria
Mai 18 2020@10:00 am_Dez 31 2025@5:30 pm
[:pt]O Galo de Barcelos[:] @ Museu de Olaria

Galo
A representação de animais produzida a partir da argila é secular, se não milenar… As formas e as cores foram variando. A colocação de acessórios revelou-lhe distintas funções: o assobio transformou-a em brinquedo, os orifícios em paliteiro.
É comum confundir-se o galo de barro com o da Lenda do Galo! A lenda é uma história contada em vários locais, usualmente associados ao caminho de peregrinação a Santiago de Compostela. O de barro é uma das figuras mais produzidas no concelho de Barcelos, como o atestou Rocha Peixoto, nos finais do século XIX, provavelmente fruto da simbologia que lhe está associada, enquanto anunciante do nascer do sol, da luz, de um novo dia… Terá sido por isso que António Ferro o usou, durante o Estado Novo, como símbolo de Portugal, ícone do artesanato… Propaganda, portanto!
A configuração que hoje é reconhecida terá surgido por volta de 1955, num cartaz promocional das Festas das Cruzes da autoria do pintor Manuel Gonçalves Torres. O fundo preto e os corações vermelhos generalizaram-se!
A atividade turística internacionalizou-o, os barcelenses enraizaram-no!

no images were found

Jan
10
Qua
O atelier sem o seu artista: uma ode a Francisco Félix
Jan 10@6:00 pm_Mar 31@5:30 pm

Na exposição “O Atelier sem o seu Artista: Uma Ode a Francisco Félix”, somos convidados a conhecer o atelier, a obra, e o que ficou por terminar. Tal é possível, através das imagens capturadas por João Falcão nos últimos dois anos do atelier após a partida de Francisco, seu avô.
Cada imagem revela as peças inacabadas, os espaços agora vazios, os utensílios que ainda guardam a sua marca, e até o par de sapatos com que trabalhava e que permanece como um eco silencioso da sua presença.
Somos levados a conhecer as peças que compõem o seu legado. Cada obra é mais do que argila moldada; é a expressão da criatividade de Francisco Félix que transcende o tempo e a ausência física.
No coração da exposição, encontramos as peças que Francisco deixou por concluir. São promessas por cumprir, formas que aguardam a transformação no calor do forno. Este é o atelier como um palco da criatividade.
“O Atelier sem o seu Artista” é mais do que uma exposição, é uma celebração do processo criativo que transcende a vida de Francisco Félix.